terça-feira, 22 de agosto de 2017

Garotos Românticos Não Devem Amar


Garoto, ouça o que tenho a lhe dizer: Não ame.

É, eu vejo em seus olhos o desejo. Vejo o seu corpo querendo expressar seu afeto a outro corpo, querendo dar carinho para alguém. Sinto o seu coração querendo falar a outro coração aquilo que corações levados pelo calor de um momento de excitação falam. Quer saber o que mais vejo? Vejo lágrimas escorrendo desses olhos, esses pequenos e inocentes olhos que nada sabem da verdade do amor. Elas escorrem em quantidade, passando por essas bochechas fartas e rosadas, deslizam por esse seu fino e frágil pescoço. Sabe de onde mais escorrem lágrimas? Do seu coração.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Vandalistia

Yo!

Como vai?

Esse é um post curto, sério.

Recentemente eu fiz um quadrinho para um projeto do meu amigo, Andy Corsant . É um quadrinho curto como este post, apenas duas páginas. Sei que você vai querer ler, né?

Segue o link: Vandalistia.

Até o próximo post ^^

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Domingo

Ontem (domingo) eu passei parte do dia lendo alguns quadrinhos (aqueles formatinhos). Nenhum é meu desde a infância, eu consegui comprar em leilões virtuais ou negociações mesmo. Quando eu era criança possuía uma infinidade de quadrinhos que minha mãe comprava para mim. Ela sempre dizia (e diz) o quanto quadrinhos ajudavam no desenvolvimento de uma criança, meu pai sempre discordou, mas até ele – vez ou outra – comprava alguns.

Inclusive o primeiro mangá que li na vida foi ele que comprou.

A gente morava em uma invasão em Belém, acredito que você saiba o que é, não? E quando chove em Belém geralmente alaga ruas e casas, pelo menos nas áreas pobres. Certa madrugada teve uma dessas chuvas que pareciam o fim do mundo e pela manhã, quando acordei, havia água até o joelho e me desesperei ao ver meus quadrinhos boiando na sala inundada.

Mas essa parte da minha vida eu conto outro dia.

Ou na minha biografia, quando me tornar um quadrinista de sucesso.

Hoje quero falar da minha volta ao passado.

sábado, 17 de junho de 2017

Voltando ao ponto do ciclo

Faz um tempo desde que não dou as caras por estas bandas, não é? Você pode até pensar que é desleixo deste que vos fala e talvez seja mesmo, ou então pode pensar que eu só não ligo mais para este blog, ou que fui abduzido por aliens com cabeças octogonais de um olho só.

Mas não.